Dor nas costas nem sempre é doença

Qualquer pessoa pode desenvolver dores nas costas, até mesmo crianças e adolescentes, e está entre as queixas mais comuns do dia a dia. Existem várias causas, fatores de risco e formas de prevenção. A dor nas costas nem sempre é doença mas pode ser um sintoma de que algo está errado, mas nem sempre é um sintoma de doença. O importante é encontrar a causa desta dor.

Um enigma que provoca muitos desconfortos e pode comprometer severamente sua vida, reduzindo os movimentos e atividades mais simples e corriqueiras, comprometendo significativamente a sua qualidade de vida.

Então explique de onde pode vir a dor nas costas…

A dor pode estar associada a problemas posturais, ou até mesmos ao sedentarismo, e a causa, muitas vezes, não tem a origem na própria coluna, mas sim ser um sintoma de outras afecções no corpo. Por questões de automaticidade, quando sinto uma dor no joelho, logo procuro um especialista em joelho.

No nosso curso de formação em pilates em São Paulo aprendemos mesmo acontece se a dor for na coluna, cabeça ou braço. Neste contexto o problema está no foco em tratar apenas a dor e não a patologia, quando existe, que é de fato a causa do desconforto. Nenhum tipo de dor deve ser ignorado, principalmente, os tipos mais persistentes e que tendem piorar com o tempo.

Qual a melhor maneira de lidar com a dor nas costas?

A melhor maneira de lidar com a dor nas costas é investigar, a sua causa. Partindo do título do texto que diz que “dor nas costas nem sempre é doença”, imagine uma arvore para ter um diagnóstico completo. As folhas são as consequências, o tronco são os problemas e a raiz as causas.

Vamos pensar numa hérnia de disco. A dor, os formigamentos e limitações são as folhas, a hérnia de disco é o tronco e a raiz é o que precisamos descobrir, o verdadeiro motivo a levar seu corpo a descompensar, ter sobrecargas e desenvolver a hérnia de disco.

Encontrar este diagnóstico é fundamental para evitar o equívoco de uma possível doença que pode ser evidenciada como causa da dor, mas que na verdade não passa do tronco de árvore.

Dor nas costas nem sempre é doença, pode ser falta de movimento!

Segundo Bruna Mayer, fisioterapeuta especialista em RPG e que ministra curso de pilates no Rio de Janeiro, a dor nas costas nem sempre é doença mas pode ser tanta coisa… até falta de movimento. O tratamento deve ser multidisciplinar, envolvendo diferentes tipos de examines e uma avaliação física e de hábitos de vida profundo, a dor é desesperadora e a única coisa que queremos é nos livrar dela.

Recorremos a tudo o que nos é oferecido, incluindo tratamentos milagrosos, de alto custo e totalmente paliativos, sem chegar na raiz do problema. O melhor tratamento a ser adoptado é a prevenção, mas quando esta não foi realizada, o melhor a ser feito é ter paciência e a busca correta de profissionais que se dedicam a cuidar de pessoas e não somente de doenças.

Conclusão do artigo

Não existe milagres, existe um contexto que deve ser avaliado e equilibrado. Devolver correta função do corpo é uma forma simples, a médio e longo prazo, mas que tem excelentes e sólidos resultados. A dor são as folhas da árvore, a consequência do crescimento do tronco sobre sua raiz. E é esta que deve ser investigada e cuidada.

A dor nas costas é um sintoma de que algo está errado, mas nem sempre é um sintoma de doença.

Andreia Chiavini, fisioterapeuta e dona de estudio de pilates em Jaraguá do Sul.

Baixe o Ebook de pilates e AVC gratis!

Faça o download aqui!