O uso de pilates em crianças e adolescentes: uma possibilidade real

menina com bola realizando exercício de pilates para crianças

O uso de molas e não de pesos, exercícios de equilíbrio e resistência apropriados à idade e condição física da criança, permitem que o pilates em crianças seja um exercício eficiente e apropriado surpreendentemente para a faixa etária de escolares e adolescentes

Pilates em crianças e adolescentes: padrōes motores básicos

Engatinhar, andar, correr, brincar, pular, saltar, cair e levantar são movimentos básicos de atividade física que vamos desenvolvendo desde o segundo semestre de vida, até a idade pré-escolar.

No nosso curso de pilates em Porto Alegre vimos que nesta fase, o tipo de atividade é lúdica, recreativa e natural.

E essa atividade é dependente da estimulação dos pais, cuidadores e da própria criança.

Brinquedos externos como, materiais plásticos, de madeira, bolas e outros objetos podem contribuir inegavelmente para o desenvolvimento motor e cognitivo.

Tudo isso para permitir maior equilíbrio, agilidade, coordenação motora e ademais muita descontração.

Esportes inseridos na idade pré-escolar.

Nos últimos anos, alguns esportes têm sido precocemente inseridos na idade pré-escolar e até mesmo de lactantes. Exageros a parte, todas as atividades institucionais nada mais são que substitutos da estimulação natural que conseguíamos ter com nossos pais, avós, amigos e cuidadores de forma general.

No entanto, a globalização, a transição epidemiológica e nutricional modificaram amplamente o panorama do estado nutricional e da atividade física na infância e na adolescência nos últimos 30 anos.

Obesidade no pilates em crianças

Diminuímos a desnutrição e portanto agora o excesso de peso é a característica predominante de nossa população. Dados nacionais recentes, em amostras representativas de pré-escolares, chegam a demostrar que um em cada quatro alunos de instituições públicas e privadas de pré-escolas de todas as regiões do pais, apresentam excesso de peso.

E ademais disso 11% apresentam obesidade, ao passo que tudo ocorre antes dos 5 anos de idade (estudo Nutri Brasil infância, UNIFESP, 2009).

O mesmo acontece com as idades maiores, em que o excesso de peso chega a alcançar valores de quase 40% dos escolares, segundo os dados da Pesquisa de Orçamento Familiar 2008-2009.

Sob o mesmo ponto de vista e paralelamente, o sedentarismo é prevalente em nossas crianças e adolescentes.

E não havendo espaços físicos adequados, segurança ou mesmo a possibilidade de recreação livre nas ruas, ocorre por conseguinte a inatividade.

E essa é a característica básica dos nossos escolares, chegando a 78% de sedentarismo (menos de 30 minutos de atividade física diária) em escolas privadas de São Paulo.

Em primeiro lugar, um fator a ter em conta é que o excesso de peso, o sedentarismo, a exposição excessiva aos meios eletrônicos de recreação, aumentam também os problemas posturais, com demandas sobre a coluna, levando a cifoses e lordoses acentuadas e escolioses, ademais com alterações na postura, equilíbrio e força.

Em segundo lugar, se somarmos o peso das malas e mochilas escolares, por conseguinte temos um problema de graves proporções, evidenciando a necessidade de correção imediata, e se possível antes da puberdade. Estas necessidades de intervenção são chamadas de mudanças de estilo de vida, com modificação na alimentação, no tipo de atividade física e correção dos distúrbios posturais.

RPG e pilates para crianças nos seus inícios ainda.

menina na colchonete realizando exercício de pilates para crianças

Mudanças no próprio sistema escolar, com ação de fisioterapeutas, pediatras e educadores, buscando a correção da postura por meio de exercícios, processos lúdicos e recreação podem ser exercidas. No entanto, são medidas ainda incipientes. O uso de técnicas fisioterapêuticas, como a Reeducação Postural Global, tem sido recomendadas para a correção postural de crianças e adolescentes, mas nem sempre bem aceitas pelos nossos pacientes, pela morosidade, monotonia e muitas vezes alto custo das intervenções.  

Qual a tendência atual?

Nos últimos anos, temos vistos um aumento expressivo da demanda, especialmente de adolescentes, pelas atividades de ganho de massa e força, com o uso da chamada musculação. Preconceitos e desconhecimentos de profissionais, pais e educadores, tem relegado o uso de exercícios resistidos a adolescentes acima dos 16 anos, após o final do crescimento ou para adultos jovens.

O antigo conceito de exercícios de peso excessivo, ainda é o padrão que os pediatras e pais acreditam ser o empecilho para exercícios de resistência ativa e passiva.

Uma possibilidade interessante e especial, no entanto, tem aparecido nos últimos anos, que é o uso da terapia de reabilitação, prevenção de lesões e aumento da atividade física, com o uso das técnicas do pilates original, adaptado a crianças e adolescentes, tanto para a modificação postural, exercícios respiratórios, aumento da coordenação motora e do equilíbrio.

Tudo isso inegavelmente auxiliando na correção de enfermidades e no condicionamento físico geral. O pilates contemporâneo permite o uso de técnicas de resistência contra o próprio peso do corpo, o uso de molas e não de pesos, exercícios de equilíbrio e resistência apropriados à idade e condição física de criança.

Sem dúvida e já demonstrado esses fatores permitem que o pilates seja um exercício eficiente e apropriado para escolares ademais do público de adolescentes, adultos e idosos.

Vantagens do pilates em crianças

menina e menino realizando exercício de pilates para crianças em colchonete

As grandes vantagens do uso do pilates são:

  • A acomodação da condição individual,
  • O crescente tipo de complexidade das atividades,
  • Alongamento natural e, surpreendentemente
  • O exercício físico resistido, sem cansaço, sem dores e com a possibilidade do acompanhamento individual ou em pequenos grupos de crianças e adolescentes.

O fato de cada aula ser totalmente personalizada permite o aumento da adesão continua da prática, sem abandonos precoces.

Especialização de profissionais em pilates para crianças

No entanto, o crescente potencial de uso do pilates nestas faixas etárias mais precoces, predispõe a algumas necessidades, como a especialização em pilates do profissional, na técnica correta e adequada para uso em crianças menores e adolescentes em crescimento, o uso de aparelhos específicos e molas, macas, barras e cadeiras, com tamanhos adequados ao uso diferente do adulto.

Cremos que a própria demanda do mercado, o treinamento dos profissionais e a adesão de companhias produtoras de equipamentos, equacionará o problema em pouco tempo.

Isso permitiria ademais o uso de técnicas, exercícios e rotinas plenamente capacitadas a modificar a composição corporal de crianças e adolescentes.

Só para ilustrar: pilates funciona até mesmo em pré-púberes, sem alterar o crescimento físico natural e permitindo a correção postural típica desta geração de sedentários.

Em conclusão do artigo de pilates para crianças podemos afirmar que…

A utilização do método pilates pelo uso consciente da respiração ademais do treinamento da concentração e coordenação motora, aliado ao uso de técnicas resistidas com o uso de aparelhos, poderá aumentar o rol de atividades físicas adequadas a crianças e adolescentes.

Isso diminui a inatividade física, combatendo a obesidade e melhorando substancialmente a postura deste grupo de risco.

Por ser uma atividade lúdica, não cansativa e ao mesmo tempo de fácil acesso na maior parte dos estúdios no país, pilates caracteriza-se como uma ferramenta única.

E essa ferramenta inegavelmente contribui para a mudança de estilo de vida da nossa população mais jovem. Deveria ser praticado desde pilates para gestantes até terceira idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixe o Ebook de pilates e AVC gratis!

Faça o download aqui!