fbpx

Pilates clássico e contemporâneo

O que é Pilates e o que não é Pilates.

Todo texto publicado em matérias de Blogs, reportagens ou matérias referente a qualquer meio de comunicação deveria ser imparcial assim que terei que usar minha experiência pessoal para esse artigo de pilates clássico e contemporâneo.

Não é o objetivo deste artigo discutir entre as variações do Pilates (Clássico, Contemporâneo, etc.) ademais isso será matéria para um futuro artigo. Nosso objetivo agora é , inegavelmente, fazer uma observação nas modalidades de exercícios que existem.

Definição de Pilates

Existe, no momento, uma linha muito tênue entre o que é Pilates e o que não é. Além disso a internet está cheia de vídeos de variações da metodologia. Isso pode confundir a mente de uma pessoa leiga ou que, ademais, já entrou no “mundo” do Pilates diretamente na metodologia alterada.

Por analogia e, dessa forma, devemos referir-nos à definição de Pilates, segundo Lolita San Miguel, Elder de primeira geração estabeleceu: “Pilates é um conjunto de exercícios criados por Joseph Pilates, em “mat” (colchonete) ou em maquinas construídos pelo próprio para realização da sua metodologia”.

Lolita afirma também que os exercícios tem que ter segurança para a “realização” dos mesmos e reafirma que Joseph deixou sua metodologia “aberta” já que seus exercícios foram desenvolvidos com o tempo, através dos anos.

Por certo todos esses exercícios não foram feitos de uma hora pra outra, ou seja, haviam exercícios novos, um após o outro segundo o passar do tempo. Todos sendo criados pela mente de Joseph pilates.

Vamos a nossa análise…

Qualquer modalidade que não trabalhe seus exercícios (de Joseph) não é Pilates e assim também com esse pensamento eu trabalho com exercícios de musculação nas maquinas de Pilates, pois venho dessa área. Meu conhecimento não é somente restrito ao Pilates, tenho muito mais além disso. Também trabalho exercícios originais.

Então qual seria meu cuidado?

Que ao realizar exercícios criativos de musculação para uma pessoa, que ao mesmo tempo, está em uma máquina de Pilates (seja para preparar para um exercício original ou para outro objetivo concreto) eu devo deixar claro para meu cliente, depois da aula/ sessão:

“Que alguns exercícios são de preparação para a técnica Pilates, de musculação ou outra metodologia que seja, já que não é um exercício de repertório original”. E que você deve passar para o bem deles, porque é preciso.

Pilates Clássico é Pilates?

Quero deixar bem claro aqui que o trabalho original de Joseph Pilates, assim como deixar os pés em paralelos e muitos detalhes mais, são poucos os que trabalham. Quem treina ou ensina com os pés em posição “V” Pilates, ou faz um “roll up” com pés em ponta (flexão plantar de tornozelo) treina, com toda a certeza, em uma forma aproximada a de Joseph. Por exemplo: se você rota externamente a perna já mudou o ângulo que Joseph queria que você trabalhasse os seus membros inferiores.

Isso por si só já seria um motivo mais que suficiente para eu dizer: “Ora bolas, da mesma forma que você mudou os ângulos da musculatura involucrada, já não são fielmente os exercícios que Joseph criou. Você o que faz é um trabalho aproximado e, dessa maneira, não faz como o criador queria e está corrompendo o método!!!”

Não sejamos tão radicais também já que ao estudar o tema, veremos que os próprios Elders modificaram pequenos detalhes de alguns exercícios, na época que vivia Joseph, e o mesmo não disse nada. A isso chamaremos Pilates clássico.

Pilates original e clássico.

Aqui tenho que ressaltar minhas palavras anteriores: eu disse “pequenos detalhes”, de exercícios construídos pelo mesmo criador da metodologia. Em conclusão: não são exercícios novos nem inventados.

Mas vamos dar essa “colher de chá”, já que as variações são mínimas (apesar de não seguir fielmente o trabalho original) e poderíamos chamar de Pilates Clássico. Muitos fazem Pilates clássico nos dias de hoje e confundem um pouco o trabalho original de como, de verdade, treinava Joseph. Até eu mesmo trabalho na forma clássica, mas sempre comento aos meus alunos essas diferenças.

Fazer outra modalidade de exercícios em cima de uma máquina de Pilates é Pilates?

Não. São exercícios de outra modalidade, em cima de uma máquina de Pilates, assim de simples.

Pode fazer?

A saber: para mim cada um é livre de fazer o que queira, segundo a constituição, sempre e quando não prejudique outra pessoa. Se fala que é Pilates, está prejudicando outra pessoa que, em síntese, pagou para fazer Pilates. Aqui, por certo, temos que saber as diferenças. Se não o faço estaria mentindo a mim mesmo.

Tenho que ser realista.

Aqui estou falando diretamente de fazer outra metodologia, em cima de uma máquina de Pilates. Exemplo: se faço treinamento funcional, cross fit ou até mesmo exercícios de ginástica médica para dor lombar em uma máquina de Pilates, especificar isso ao aluno.

Que não é um exercício do repertorio Pilates, é algo que alguém inventou e que pode até servir muito ao seu aluno. Mas inegavelmente não é Pilates.

Seriam preparações para exercícios originais, que é o que podemos chamar aliás , de Pilates Contemporâneo….

Fazer exercícios que tenham os 6 princípios é Pilates?

Não. No curso de pilates RJ que fiz ano passado, deixei isso bem claro. Os 6 princípios (concentração, controle, centralidade ou “powerhouse”, precisão, respiração e fluidez de movimentos) foram nomeados a primeira vez por Philip Friedman e Gail Eisen.

Não foram criados diretamente por Joseph Pilates. Por certo, se pensarmos bem, qualquer exercício de alta competitividade, que use os abdominais usam estes princípios, por conseguinte inclusive poderíamos usá-los ao caminhar pela praia!

Colocar uma máquina de Pilates em cima da outra e fazer exercícios novos é Pilates?

Acho que temos que ter bom senso. Isso não e Pilates. Pilates tem segurança nos movimentos. Se você colocar uma máquina em cima da outra, poderá perceber que elas não foram feitas para isso.

Explorar novas possibilidades, não significa fazer exercícios sem segurança, totalmente novos. Primeiramente se não são exercícios criados por Joseph, não é Pilates, a não ser que seja uma preparação criativa para algum exercício original. Se é mais avançado que qualquer exercício original, não é uma preparação, é algo novo…não é Pilates.

Sempre é bom ter um “Elder” que aprove seus exercícios criativos em base a pilates.

Eu tenho exercícios criativos de “Pilates” para preparar para outro movimento. Tenho também exercícios “novos” ou inventados de Pilates.

Qual a diferença dos meus exercícios criativos em maquinas de Pilates para os exercícios dos demais?

Os meus tiveram a aprovação de algum Elder, uma pessoa que estudou diretamente com Joseph Pilates…e posso dizer que muitos deles foram reprovados. Só ficaram os que realmente são seguros e servem para uma preparação aos exercícios originais.  Você criar um exercício criativo de “Pilates”, em uma máquina de Pilates, ademais sem nenhum “elder superior” que possa te julgar, é um erro e uma falta de reponsabilidade.

Fazer exercícios de Pilates original em cima de uma colchonete no ar (pendurado por cordas), é Pilates?

Uau, aqui temos algo bem novo.

Existem muitas empresas titulando que fazem Pilates aéreo.  Realmente todas fazem um Pilates aéreo? Vamos as definições…Se são exercícios de Pilates, inventados por Joseph e está em cima de uma colchonete (Mat) é Pilates. O que temos aqui é uma variação, pois o colchonete está no ar. O que eu faria seria nomear essa variação realmente como o verdadeiro Pilates aéreo. Criaram uma categoria nova, que realmente fica adequada a definição de Pilates, só que no ar!

Lembrando….

Esse artigo foi escrito em base a definição de Pilates Clássico feita diretamente por um Elder (quem somos nós, no Pilates mundial, para discutir com um Elder, não é verdade?), sei que esse artigo daria para escrever infinitamente, mas meu objetivo é deixar a todos com uma verdadeira “pulguinha atrás da orelha” e preparando seu pensamento para ser honesto com seus próprios alunos. Falar a verdade tipo: “vamos fazer um exercício contemporâneo”, ou “vamos fazer um exercício de musculação em uma máquina de Pilates” é sempre melhor que enganar a seu cliente. Isso sempre trará consequências. O importante mesmo é que o profissional que já possui um curso de fisioterapia e atende o cliente se aperfeiçoe também em um excelente curso de pilates que explique todas esas diferenças.

Sandro Alves, professor de pilates de segunda geração.

Posts mais recentes

Categorias

acessórios de pilates aperfeiçoamento em pilates artrose no joelho artroses atividade física aula de pilates a distância beneficios do pilates biomecânica do pilates como dar aula de pilates online curso de pilates dicas sobre pilates dor lombar fascia gravidez e pilates historia do pilates instrutor de pilates livro de pilates origem do pilates osteoartrose osteoporose pilates pilates clássico pilates e dança pilates elder pilates emagrece pilates em casa pilates e obesidade pilates e osteoporose pilates e parkinson pilates gestação pilates gravidez pilates na gestação pilates na gravidez pilates na osteoporose pilates original pilates para crianças pilates para garotas pilates para garotos pilates para gestantes pilates para grávidas pilates para osteoporose pilates terapeutico powerhouse saúde saúde e pilates

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Baixe o Ebook de pilates e AVC gratis!

Faça o download aqui!