Pilates nas cervicalgias

Estudos sobre o pilates nas cervicalgias mostram que a cervicalgia, ou seja, dor na coluna cervical é uma causa muito comum de dor na população geral com prevalência de 10% a 15%, acometendo em torno de 60% a 70% de indivíduos adultos em algum momento de sua vida, sendo esta considerada um problema frequente de incapacidade, se tornando razão fundamental para a busca de atenção médica. 

A utilização crescente de smartphones e computadores, principalmente nos últimos anos, ocasionam a anteriorização da cabeça.

Essa verdadeira whatsappnite contribui de forma negativa na postura favorecendo a instalação do quadro de cervicalgia. 

Além disso, atualmente a cervicalgia é muito presente devido a fatores emocionais como o estress e a má postura adquirida no trabalho, ao dormir, ao dirigir, e nas atividades de vida diária. 

O que é a cervicalgia? 

A cervicalgia, como já citada anteriormente, se refere a dores na região da coluna cervical.

Ela se caracteriza por dores na região do pescoço, podendo também ser irradiada para os ombros e para alguns músculos da região dorsal e causa rigidez muscular na musculatura do trapézio, supraespinhoso, romboide e escaleno. 

Muitas vezes o paciente pode apresentar cefaleia, o que é muito comum, principalmente se o motivo da cervicalgia for emocional. 
Podem ocorrer desde pequenos desconfortos ou até dores intensas que levam a incapacidade e incomodo ao realizar as atividades do dia a dia.

Isso termina ocasionando assim uma má qualidade de vida. 

Mulher com cervicalgia

Fonte: https://www.itcvertebral.com.br/cervicalgia/ 

Quais as causas da cervicalgia? 

Há alguns anos atrás a incidência da cervicalgia geralmente era devido à atividade laboral que sobrecarregasse a coluna cervical e devido ao processo de envelhecimento. Hoje sabemos que o numero de casos sofreu um considerável aumento por conta do uso excessivo e inadequado de smartphones como já citado anteriormente. 

A cabeça de um adulto pesa aproximadamente entre 5 e 8 kg, porem quando esta é anteriorizada por longos períodos o peso da cabeça pode variar, gerando uma pressão sobre a coluna que pode chegar aos 27 kg acarretando tensão em toda musculatura envolvida ao redor do pescoço, consequentemente originando a dor. 

Existem outros fatores que podem causar a cervicalgia?

Sim porque além disso a cervicalgia pode ser causada também for fatores ergonômicos relacionados à ocupação do individuo, onde os mesmos utilizam mobiliários não ergométricos, que levam a sobrecarga dos músculos do pescoço.

No curso de pilates em Bauru vimos que fatores emocionais também estão envolvidos como os sentimentos de estresse em seu dia a dia, pois muitos trabalhadores passam horas em frente ao computador e sem pausas no trabalho. 

Por isso, é de suma importância orientar o paciente sobre a maneira correta de utilizar o computador e fazer pausas aderindo à ginástica laboral em seu ambiente de trabalho. 

A tela do computador deve permanecer na altura dos olhos, para que o mesmo evite manter a cervical flexionada por longos períodos, alem de claro, manter a coluna ereta. 

Desenho de homem olhando tela do computador

Fonte: https://mundosemdor.com.br/postura-ao-computador/ 

Outro fator importante que possa fazer com que o individuo venha ter a dor cervical está relacionado aos seus hábitos diários, como a maneira de dormir. 
Muitas pessoas gostam de dormir com travesseiros maiores que o ideal, o que faz com que a cervical fique inclinada excessivamente durante todo o sono.  

Desenho de comparação de mulher dormindo com travesseiro alto e com travesseiro baixo

Fonte: https://catracalivre.com.br/equilibre-se/posicao-para-dormir/ 

Quais os principais músculos do pescoço?

Encontramos importante separar algumas fotos com os principais músculos do pescoço pra você poder visualizar a complexidade do sistema muscular nessas zonas que podem ficar afetadas em caso de uma cervicalgia.

Fonte: NETTER, Frank H..Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000

Algumas patologias também causam cervicalgia, como: 

– Hérnia de disco cervical; 
– Osteoartrose; 
– Degeneração dos discos intervertebrais; 
– Disfunções da articulação têmporo-mandibular (ATM); 
– Desvios posturais; 
– Tumores; 
– Patologias que geram infecções; 
– Patologias que ocasionam inflamações. 

Se a cervicalgia for oriunda de hérnia de disco ou de outras patologias que possam causar compressão dos nervos periféricos, a cervicobraquialgia pode vir a aparecer. A cervicobraquaialgia é a dor cervical irradiada para os membros superiores em casos de compressão das raízes nervosas, podendo gerar alteração da sensibilidade, e em casos mais graves, fraqueza muscular e incoordenação dos movimentos dos membros superiores, levando a limitação das atividades de vida diária. 

Como ajuda o método Pilates nas cervicalgias ?

O Pilates nas cervicalgias é um recurso muito utilizado e eficaz no tratamento da dor cervical. Através de seus princípios é possível promover a estabilização de toda coluna vertebral, consciência corporal, mobilidade, flexibilidade e fortalecimento muscular a fim de proporcionar reequilíbrio de toda musculatura envolvida, com o objetivo de reduzir o quadro álgico representado pelo paciente. 

É de extrema importância à educação postural do paciente logo no inicio do tratamento. O crescimento axial deve ser estimulado o tempo todo através de comandos verbais e táteis. 

Um exemplo é dizer ao aluno para que este imagine que está sendo puxado por uma linha no topo de sua cabeça ou então podemos apoiar a mão a cima da cabeça de nosso aluno e pedir para que ele a empurre. Assim, estaremos estimulando o crescimento axial, o qual é fundamental para que ocorra a ativação dos multifidos, proporcionando assim, maior estabilidade para a coluna vertebral. 

Como tratar o paciente no tema “Pilates nas cervicalgias”?


O paciente com cervicalgia apresenta tensão muscular principalmente em escalenos, esternocleidomastóideo e nas fibras superiores do trapézio, o que faz com o mesmo eleve seus ombros tensionando-o durante os exercícios. Este é outro ponto importante que deve ser detectado e corrigido pelo instrutor de Pilates. 
Neste caso devemos utilizar o comando verbal, solicitando ao aluno que afaste os ombros de suas orelhas, deprimindo as escápulas ou então que ele imagine uma força que puxa seus braços em direção aos pés, procurando reduzir assim, a tensão na região da cervical. 
Para melhor tonificação dos multifidos e outros músculos que estabilizam a coluna vertebral, é ideal que ocorra a ativação do Power house associado com a respiração, a qual é um componente excepcional durante todo e qualquer exercícios do método Pilates. 

Exercícios indicados de Pilates nas cervicalgias .

Exercício 1: 

Instruções: De frente para a barra fixa do cadillac na posição ortostática, posicione as mãos na barra. 
Inspire preparando o movimento e expire iniciando o rolamento de toda coluna vertebral até que esta se alinhe. Retorne “desenrrolando” a coluna, iniciando o movimento pela lombar até que volte a posição inicial. 

Este exercício tem como principal objetivo a mobilização de toda coluna vertebral.  

Exercício 2: 

Instruções: Adicione uma alça de mão em uma mola de média intensidade, acoplando-a no cadillac. Na posição ortostática, segure a alça de mão posicionando-se na lateral do aparelho. 
Inspire preparando o movimento e expire inclinando o corpo no sentido oposto da mola. 

Este exercício tem como objetivo tracionar a articulação glenoumeral e promover alongamento das fibras superiores do trapézio. 

Exercício 3: 

Instruções: Em decúbito dorsal, posicione uma bolinha murcha abaixo da cabeça. 
Inspire preparando o movimento e durante a expiração pressione a bolinha para baixo, apertando-a contra o solo. 

Este exercício possui o objetivo de fortalecimento da musculatura extensora do pescoço. 

Exercício 4: 

Instruções: Em decúbito dorsal, posicione uma faixa elástica abaixo do tronco, pescoço e cabeça segurando-a no topo com as mãos. 
Inspire preparando o movimento e expire elevando a cabeça com o auxilio da faixa elástica. Inspire novamente e expire exercendo uma pressão sobre a faixa elástica retonando a posição inicial. 

Além do fortalecimento abdominal com ausência de sobrecarga na coluna cervical, este exercício também promove o fortalecimento da musculatura extensora do pescoço, a qual é importantíssima para a estabilização cervical. 

Exercício 5: 

Instruções: Em decúbito ventral, flexione os braços ao lado do tronco. 
Inspire preparando o movimento, e expire enquanto eleva o tronco. Inspire novamente e expire retornando a posição inicial. 

Este exercício possui como objetivo principal fortalecimento da musculatura extensora da coluna vertebral e mobilização da coluna em extensão. 

Além dos exercícios citados, pode ser realizado no final da aula outros recursos que promovam relaxamento cervical, como:

  • Tração,
  • Alongamento passivo de trapézio e paravertebrais,
  • Massagem relaxante na região cervical,
  • Tudo isso entre outros recursos que promovam relaxamento e bem estar.  

Para alunos com cervicalgia devemos suspender exercícios que sobrecarreguem e que possam causar compressão na região cervical, como: tower, shoulder bridge, roll over e jackknife. Além disso, abdominais que geram tensão na coluna cervical também devem ser evitados, pelo menos até que o aluno eduque esta musculatura para que a mesma não seja tensionada durante estes exercícios. 

Conclusão de Pilates nas cervicalgias : 

Conclui-se então que o movimento cura e que o método Pilates é um excelente recurso utilizado tanto para a reabilitação de cervicalgia tanto para a prevenção da mesma. 

Através de exercícios de mobilização, alongamento, fortalecimento, e relaxamento, é possível reduzir o quadro álgico do paciente e prepara-lo para suas atividades de vida diária. 

Para isso é importante que o profissional seja qualificado e estude o caso de cada paciente, pois cada um possui suas devidas particularidades, as quais fazem toda diferença no momento de traçar plano de atendimento. 

É importante reforçar os cuidados que devem ser tidos durante a prescrição de exercícios, para que os mesmos não venham sobrecarregar a coluna cervical e piorar o quadro. 

Natália Roberta Bovério, Instrutora da Quality Pilates Unidade de Taquaritinga e Bauru

Categorias:

Posts mais recentes:

beneficios do pilates biomecânica do pilates Carola Trier carola trier pilates curso de pilates Curso de Pilates em Sao Paulo curso de pilates para parkinson dicas sobre pilates dor lombar eve gentry eve gentry pilates Exercícios para Parkinson gestante pode fazer pilates história do método pilates kathy grant lolita san miguel lolita san miguel pilates Mary Bowen Mary Bowen Pilates o que é pilates parkinson pilates pilates adolescentes pilates e avc pilates e ave pilates e cervicalgia pilates e depressão pilates e dor lombar pilates elder pilates emagrece pilates e parkinson pilates e patologia pilates melhora a coluna pilates nas cervicalgias pilates para crianças pilates terapeutico powerhouse principios do pilates quantas vezes devo praticar pilates repouso e dor lombar ron fletcher ron fletcher pilates sintomas da depressão teaser the hundred

Baixe o Ebook de pilates e AVC gratis!

Faça o download aqui!