fbpx

Respiração e Pilates

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Qual o objetivo desse artigo sobre respiração e pilates?

Respiração e pilates é um artigo realizado com o objetivo de revisar as diferentes metodologias que podemos aplicar ao sistema respiratório, as principais patologias e dúvidas sobre o mesmo.

A força de vida inicia com o primeiro suspiro de ar e termina com último! (Pilates, J; 1945)

desenho dos pulmōes

O que é a respiração?

A respiração é o processo que fornece oxigênio ao metabolismo intracelular e elimina o gás carbônica. Os pulmões desempenham a função ventilatória, ou seja, a trocar de ar entre o espaço alveolar o ambiente.

O trabalho respiratório realizado pelos pulmões e músculos respiratórios, assim como a atividade muscular de membros inferiores e superiores pode ser exercitado através do Método Pilates.

Qual a relação de Joseph com a respiração e pilates?

Joseph Pilates era um homem de capacidade inovadora que criou o método originalmente chamado de “Contrologia” com o intuito inicial de fortalecer seu corpo frágil e doente. Embora exista o mito que Joseph sofria de asma, raquitismo e febre reumática desde sua infância, ele realmente faleceu pro problemas respiratórios devido ao enfizema pulmonar produzido pelos cigarros e charutos que fumava.

A filosofia do método pilates clássico e contemporâneo está estruturada em exercícios para o corpo, mente e espírito, em busca do equilíbrio do como um todo e a saúde plena dos seus adeptos e a respiração é parte fundamental da metodologia. Os conceitos de respiração e pilates é algo que não se pode separar.

Respiração e pilates. Quais os benefícios de respirar corretamente na técnica?

“A saúde não é apenas uma condição normal, é um dever atingi-la e mantê-la”. (Pilates, J; 1945)

Alguns benefícios da respiração utilizada no método Pilates:

  • Aumentar a capacidade e resistência pulmonar, resultando na melhora das condições vitais;
  • Aumentar a energia e eficiência corporal, permitindo a realização dos movimentos com menor probabilidade de fadiga;
  • Reduzir a Pressão Arterial, favorecendo a capacidade ventilatória, cardíaca e muscular;
  • Aumentar a flexibilidade e mobilidade da caixa torácica e coluna, devido á estimulação da circulação sanguínea;
  • Melhorar a habilidade de relaxar ao passar por situações estressantes, com maior concentração e controle.

Respiração e pilates: como facilitar a prática?

Segundo Pilates, a ação de enrolar e desenrolar da coluna, força o ar impuro para fora dos pulmões e facilita a entrada do ar puro (ex.: Roll Up, Spine Stretch Forward)

Quando é feita muita força com o corpo para executar algum exercício, o praticante utiliza esta força para expulsar todo o ar dos pulmões, e quando o corpo se endireitar deve ocorrer a inalação do ar (ex.: criss crow, saw).

Nos exercícios de mat, o trabalho de respiração é utilizado para intensificar a ação dos mesmos.

Características da respiração na prática do pilates.

No método Pilates Clássico, alguns exercícios, por terem uma execução mais rápida, exigem uma respiração natural, como é o caso do exercício Running. Neste caso, executando o exercício com uma respiração errônea acabaria prejudicando a execução deste.

No nível básico, os exercícios respiratórios têm um ciclo duplo (inspire, expire, inspire e expire) facilitando um trabalho com precisão de cada posição (ex.: Spine Stretch Forward)

No nível intermediário e no avançado, onde trabalhamos com mais fluidez, a respiração passa a ter um ciclo simples (inspire e expire). Nestes níveis podemos também alterar a respiração, alternando a utilização da inspiração e expiração entre os movimentos, aumentando assim a capacidade expiratória do praticante.

O que é o DPOC?

homem com respirador para asma

O DPOC podem ser duas doenças em uma! Enfisema pulmonar e a bronquite crônica compõem a chamada DPOC, sigla da doença pulmonar obstrutiva crônica. Joseph Pilates faleceu por isso!

No curso de pilates em São Paulo vimos que a doença pulmonar obstrutiva crônica é a manifestação conjunta da bronquite crônica e do enfisema pulmonar e tem como características, como seu nome diz, obstruir as vias aéreas e ser uma moléstia crônica, ou seja, é recorrente, afetando a pessoa ao longo da vida.

Qual a causa da DPOC?

A DPOC, é causada principalmente pelo tabagismo e outros elementos poluentes, pode levar a complicações graves se não for tratada adequadamente. A bronquite crônica, como foi dito em páginas anteriores, leva ao estreitamento das vias aéreas, enquanto o enfisema causa graves danos nos alvéolos pulmonares.

O exame conhecido como espirometria, que avalia a capacidade ventilatória pulomar, é o mais indicado para o médico se certificar da existência da DPOC. Além dele e do exame clinico, o paciente pode ainda submeter-se a exames de imagem, conforme a orientação do especialista.

Respiraçāo e pilates: quais os sintomas do DPOC?

pulmōes de homens e mulheres

Entre os sintomas da doença obstrutiva, o mais característico no início é uma leve falta de ar, que em geral aparece quando há algum esforço físico; quando a pessoa, por exemplo, pratica algum exercício, caminha mais depressa ou sobe escadas. Assim que esse sintoma for percebido é preciso procurar um médico. Se for o clinico geral, este deve encaminhar o paciente ao pneumologista, para que seja feito o diagnóstico completo depois dos exames.

Tosse, expectoração e a sensação de encurtamento da respiração são sintomas que podem acompanhar a falta de ar – – que com o passar do tempo, caso não seja tratada, fica mais intensa. Sim, a DPOC é uma doença progressiva que pode tornar-se cada vez mais grave. E, ainda, pode manifestar-se em crises agudas, que os médicos chamam de “exacerbação”, quando os sintomas se tornam acentuados de modo muito rápido e requerem atendimento médico de urgência.  

Nos casos de exacerbação, a falta de ar é mais intensa, a tosse vem com maior expectoração e o paciente pode sentir ainda sonolência, aperto no peito, confusão mental e febre.

Nesse caso, o ideal é que ele seja encaminhado imediatamente ao posto médico mais próximo.  

A GRANDE MAIORIA DOS CASOS DE DPOC É PROVOCADA PELO HÁBITODE FUMAR, MAS ALÉM DO CIGARRO OUTROS ELEMENTOS IRRITANTES, COMO POLUENTES DO AR E VAPORES QUÍMICOS, FAVORECEM O SURGIMENTO DA DOENCA

Respiraçāo e pilates: definindo o conceito de exarcebação.

O termo exacerbação é explicado, por associações internacionais de doenças pulmonares, como uma situação de mudança do curso natural da doença pulmonar obstrutiva crônica, isto é, uma alteração além das variações normais dos sintomas comuns como falta de ar, tosse ou expectoração. O impacto das exacerbações é grande, e o paciente, além de muitas vezes precisar ser hospitalizado, pode demorar até várias semanas para restabelecer os valores basais anteriores a crise.

Os médicos garantem, no entanto, que é possível detectar de modo precoce a exacerbação, porque os sintomas de falta de ar e tosse costumam se agravar alguns dias antes do pico –  que, vale repetir, leva obrigatoriamente o paciente ao atendimento médico. Os especialistas também observam que o fluxo expiratório sofre uma pequena diminuição alguns dias antes da crise. Por isso, recomendam que qualquer pessoa com DPOC procure fixar-se em seus sintomas e sinais.

A DPOC BLOQUEIA EM PARTE O FUNCIONAMENTO DOS BRONQUIOS E MUITOS A CONSIDERAM SEMEHANTE A ASMA POR SEUS SINTOMAS SE MANIFESTAREM DE MODO PARECIDO

Respiração e pilates: Dados estatísticos.

desenho de professor mostrando estatística

Na época de Joseph Pilates quase não existiam dados sobre o tabagismo, inclusive era muito comum ser fumante, pois era “sensacional”, como diziam muitos na época.

Segundo o Ministério da Saúde, o tabagismo – inclusive o passivo, ou seja, as pessoas que, sem serem fumantes, inalam a fumaça de cigarros – é responsável por 85% das mortes causadas por DPOC.

Na primeira década do século XXI, um estudo divulgado pelo Projeto Latinoamericano de Investigación em Obstrucción Pulmonar (Platino), mostrou que as mortes atribuídas a DPOC na América Latina aumentaram 65% entre 1995 e 2005 anteriores. A pesquisa também concluiu que na Grande São Paulo, 15% dos indivíduos com mais de 40 anos de idade sofriam com a doença.

Segundo dados do Instituto do Coração do Hospital das Clinicas de São Paulo, existem aproximadamente 10 milhões de pessoas com DPOC no Brasil. O Sistema Único de Saúde (SUS) registrou no ano de 2011 86.980 internações por doença pulmonar obstrutiva crônica de pessoas com 60 anos ou mais.

E tem mais…

De acordo com o Ministério da Saúde, as mortes causadas por DPOC chegam a mais de 40 mil anualmente, no pais. No mundo todo, a doença mata uma pessoa a cada dez segundos, o que, segundo os estudiosos e pesquisadores, a levará a ser uma das principais causas de morte em 2030.

Pesquisas recentes realizadas no Brasil e outros países – – Reino Unido, Alemanha, Franca, China, Canadá, Japão e Espanha, sendo entrevistados 811 pacientes com idades entre 30 e 70 anos – – revelaram que 63% dos pacientes sentem os sintomas da DPOC mais fortes pela manhã. O estudo foi realizado pela empresa global de consultoria em saúde Kantar Health.

No Brasil, 80% dos pacientes também afirmaram sofrer desses sintomas principalmente pela manhã; 69% tiveram sua rotina alterada em razão desses sintomas; e 74% reportaram que os sintomas matutinos impactam o restante do dia.

ESSA LESAO NAO DEVE SER CONSIDERADA RESTRITIVA AOS PULMOES, PORQUE PODE LEVAR A COMPLICACOES GRAVES COMO INFARTO E DEFICIENCIA CARDIACA

Perigo silencioso

Se forem submetidos a substancias agressivas como o cigarro, em especial, os brônquios sofrem ao longo do tempo um processo de inflamação crônica que pode não ser percebido logo no início. Quando ocorre seu estreitamento, dificultando a entrada e a saída do ar, incluindo até mesmo a produção de muito catarro, então se caracteriza a bronquite crônica. Os alvéolos pulmonares, onde ocorre a troca de gases, também são afetados. E se eles começam a se romper, formando bolhas, significa que o enfisema pulmonar também já afetou o indivíduo.

O problema é que por ser um processo na maior parte das vezes praticamente silencioso, os sintomas não são levados em conta pelo paciente. A tosse, quase sempre, é considerada apenas uma consequência normal do hábito de fumar, e a falta de ar, leve no início, costuma ser vista como resultado da falta de exercícios ou outro motivo.

De acordo com especialistas da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, o perigo está aí, porque quando menos se espera a enfermidade se instalou e os sintomas são agravados ao ponto de impedir qualquer esforço físico.  

Respiração e pilates: aconselhar o “adeus ao cigarro” do seu paciente/ cliente.

O abandono definitivo do tabagismo, exercícios respiratórios e inaladores compõem a base do tratamento da DPOC, e quanto mais precoce o diagnóstico, mais eficiente é o resultado.

Parar de fumar, vale repetir, é fundamental, assim como estes outros cuidados.

  • Seguir a orientação de um profissional nutricionista, adotando uma alimentação saudável, evitando as refeições pesadas
  • Evitar ficar exposto a substancias poluentes, como fumaça de cigarro, fumaça de lenha, poeira, vapores químicos e outras
  • Ter a orientação de um fisioterapeuta, que indicará técnicas de reabilitação respiratória, como exercícios específicos, a fim de aumentar a resistência do paciente e melhorar sua qualidade de vida

Ademais:

  • Usar apenas medicamentos broncodilatadores e anticolinérgicos indicados pelo pneumologista, assim como derivados da cortisona por via inalatória. Mas, atenção: alguns remédios podem ter efeitos colaterais indesejáveis, daí a importância de seguir rigorosamente a orientação medica.
  • Ser vacinado anualmente contra a gripe e o pneumococo

Estes e outros cuidados que o especialista indicar são indispensáveis para que o tratamento seja feito de modo correto. So assim o paciente terá mais condições de aliviar os sintomas, prevenir exacerbações e ter um cotidiano com mais qualidade de vida.

Respiração e pilates: mais dados estatísticos!

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou que em todo o mundo cerca de 100 mil pessoas tornam.se fumantes a cada dia.

Pesquisas revelam que cerca de 47% dos homens e 12% da mulheres são tabagistas. E especialistas do mundo inteiro alertam: se a pessoa tem tosse frequente, falta de ar, excesso de catarro e outros sinais que possam indicar a doença deve procurar um médico imediatamente.

A causa que pode ser evitada:

Sistema respiratório da mulher.

Os médicos pneumologistas são unanimes ao afirmar que o efeito nocivo do fumo é maior do que as pessoas imaginam. Além de matar milhões de pessoas todos os anos, é fator de risco para dezenas de doenças. Segundo o Instituto Nacional do câncer, o tabaco é responsável por cerca de cinquenta tipos de doenças diferentes. Entre elas, as cardiovasculares, como infarto, angina e outras; o câncer de pulmão, de boca, de estomago, de laringe; e todas as doenças respiratórias.

Mas o mesmo cigarro é, também, uma das principais causas que podem ser evitadas, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Muitos especialistas recomendam que toda pessoa que fuma há mais de dez anos consulte um pneumologista, mesmo que aparentemente não tenha nada, para que ele indique exames e possa diagnosticar uma possível doença obstrutiva ainda em seu início. Recomendam procurar também a Unidade Básica de Saúde mais próxima, que estará habilitada para detectar o problema e realizar o tratamento adequado, além de indicar onde a pessoa pode procurar ajuda para deixar de fumar.

Respiração e pilates:outras informações importantes:

  • Além de causar a DPOC, o habito de fumar aumenta o risco de infarto e de acidente vascular cerebral e é um dos grandes fatores de risco do câncer do pulmão.
  •  A imensa maioria dos casos de câncer do pulmão (90%) está associada ao cigarro. Apenas em 2014, segundo o Ministério da Saúde, ocorreram 25 mil mortes no Brasil em decorrência do câncer pulmonar.
  • Além dos problemas no pulmão, as substancias tóxicas do cigarro podem afetar gravemente todo o aparelho respiratório por vários anos.
  • Toda a via aérea do fumante, da boca até o pulmão é prejudicada pelo cigarro, cujas substancias penetram nas vias respiratórias e causam tanto lesões de forma aguda, como faringite, rinite e bronquite, quanto crônicas, como a bronquite crônica, o enfisema e o câncer.
  • De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 1 bilhão de pessoas morrerão de doenças ocasionadas pelo cigarro no século XXI.
  • Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia, 3 em cada 10 brasileiros sofrem com falta de ar. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, existem no mundo cerca de 300 milhões e asmáticos, cerca de 200 milhões de pessoas acometidas pela Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica e 100 milhões de portadores do distúrbio respiratório do sono.
  • De acordo com a OMS, a cada ano, 8 mil novos casos de tuberculose são registrados no Brasil, um dos países recordistas em casos da doença.

Observação:

A incidência de doenças alérgicas respiratórias, como rinite, bronquite e asma também vem aumentando em todo o mundo.

TODOS OS PACIENTES COM  DPOC DEVEM AMNTER ATIVIDADE FÍSICA REGULAR, ORIENTADA PELO MÉDICO OU FISIOTERAPEUTA, E ADOTAR UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL

Quarta principal causa de morte.

Aqui no artigo sobre respiração e pilates, fizemos uma revisão estatística e segundo a Organização Mundial de Saúde, a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica é a quarta principal causa de morte no mundo, depois de infarto do miocárdio, câncer e doença cerebrovascular.

E é a única, dentre essas causas, que apresenta números crescentes, prevendo-se que se torne a terceira agora, em razão do envelhecimento da população e ao aumento do tabagismo em países em desenvolvimento.

Respiração e pilates: 10 cuidados que devemos indicar aos nossos pacientes/ clientes.

Segundo associações internacionais de tuberculose e doenças respiratórias, estes cuidados ajudam a evitar as doenças respiratórias

  1. Além de parar de fumar, evite locais impregnados com fumo de tabaco.
  2. Evite locais onde exista congestionamento de automóveis
  3. Evite locais com poluentes industriais.
  4. Vacine as crianças contra a tuberculose (BCG), conforme orientação do pediatra.
  5. Vacine-se anualmente contra a gripe, especialmente se tiver mais de 65 anos ou sofrer de doença crônica.
  6. Vacine-se contra a pneumonia se tiver mais de 65 anos ou doença pulmonar crônica.
  7. Evite exposição a substancias a que seja alérgico
  8. Aspire frequentemente a casa, tapetes, cortinas e colchoes
  9. Faça a manutenção regular dos sistemas de ar condicionado, com substituição dos filtros, nos prazos indicados pelo fabricante.
  10. Quando tossir ou espirrar proteja a boca e o nariz com lenço de papel e o descarte imediatamente em local adequado.

Quais as principais dúvidas do profissional de pilates em relação a doenças respiratórias?

A seguir, listamos 24 dúvidas que costumam afligir as pessoas que sofrem de doenças respiratórias, assim como os familiares e amigos que convivem próximos aos pacientes. Veja as mais comuns e o que é verdadeiro a respeito delas

Respiração e pilates: 24 dúvidas frequentes:

1.- TODA PESSOA ALÉRGICA TEM DOENCA RESPIRATORIA?

Não. A alergia pode manifestar-se de maneira superficial e até atópica, mas nesse caso, seja causada por alimentos, seja por outras substancias, costuma se restringir a pele, manifestando-se por coceiras e vermelhidão. O dermatologista e o médico alergologista ou alergista, podem identificar a causa por meio de exames específicos.

2.-  O QUE É UMA VIROSE RESPIRATÓRIA?

As viroses respiratórias são provocadas pelo vírus da gripe, chamado vírus Influenza, ou por vários outros que podem causar o resfriado comum, como estes: Rinovírus, Adenovírus, Vírus sincicial respiratório, Coronavírus, Parainfluenza.

3.- RESPIRAÇÃO E PILATES: QUAIS OS SINTOMAS DA VIROSE RESPIRATÓRIA?

Alguns sintomas mais comuns são os relacionados a seguir, mas é preciso lembrar que apenas alguns, e não todos, podem caracterizar uma virose respiratória. São eles:

  • Dor de cabeça
  • Mal-estar
  • Dor no corpo
  • Dor na garganta
  • Febre
  • Espirros
  • Coriza
  • Sinusite
  • Tosse
  • Conjuntivite

4.- TODAS AS VIROSES TÊM TRATAMENTO

Como toda virose é provocada por vírus, como já está claro no termo, não apenas a virose respiratória, mas outros tipos de virose, como a que provoca diarreia (virose gastrointestinal) não necessitam de um tratamento especifico.

As viroses respiratórias duram em geral entre dois e sete dias e são curadas naturalmente. Mas o médico pode prescrever o uso de alguns medicamentos para conforto do paciente e alívio dos sintomas. Nos casos de vômitos e diarreia, por exemplo, o tratamento ainda deve objetivar a hidratação adequada do paciente.

Importante: no caso de uma virose respiratória, é fundamental descobrir se o paciente tem alguma infecção bacteriana que possa ser confundida com a virose, pois podem ter sintomas semelhantes. Se for confirmada a infecção por bactéria, é preciso tomar antibióticos. É o caso da faringite bacteriana, da sinusite bacteriana e da pneumonia.

5.- LAVAR SEMPRE AS MAOS EVITA AS DOENCAS RESPIRATORIAS?

Sim. Alguns médicos costumam enfatizar que a principal forma de transmissão dos vírus não é através das gotículas contaminadas presentes no ar inspirado, mas sim por meio de mãos contaminadas, incluindo aí as doenças respiratórias. O fato é que boa parte das infecções comuns, como resfriados, gripes, problemas intestinais e intoxicação alimentar são causadas pelo contato das mãos. Por essa razão o simples ato de higienizar as mãos pode evitar que as pessoas, especialmente bebes e idosos, estejam livres de qualquer infecção.

6.- RESPIRAÇÃO E PILATES: O QUE SÃO OS ÁCAROS E O QUE PROVOCAM

Os ácaros são seres microscópicos, portanto, não visíveis a olho nu, que se desenvolvem especialmente em climas úmidos e frios. São um dos principais causadores de alergias, incluindo as respiratórias, como a rinite alérgica.

Eles se desenvolvem onde houver descamação de pele e necessitam de um ambiente escuro, úmido e quente como os nossos colchoes. Sim, embora tapetes, cortinas e estofados possam abrigar muitos ácaros, o colchão é o principal local onde eles proliferam.

Por isso em toda a casa é necessário adotar alguns cuidados para evitar alergias e outros problemas respiratórios provocados por ácaros:

  • Lave as roupas de cama pelo menos uma vez por semana.
  • Coloque o colchão, os travesseiros e as roupas de cama para tomar sol sempre que possível.
  • Use o aspirador de pó no sofá, tapetes e cortinas, pelo menos uma vez por semana.
  • Passe pano úmido no chão na sala e nos quartos, periodicamente.
  • Troque as toalhas do banheiro com frequência, e mesmo quando estão secas deixe-as estendidas.
  • Mantenha a casa toda arejada
  • Limpe os móveis ao menos uma vez por semana.

7.- QUAL A MELHOR PREVENCAO DAS CRISES RESPIRATORIAS?

Não existe a melhor, e. sim, existem várias formas de prevenção. O melhor é prevenir todos os fatores desencadeadores que estão muitas vezes na nossa própria casa ou no local de trabalho. O abandono definitivo do hábito de fumar e mais estes cuidados são essenciais:

  • Não tenha animais de pelo ou de penas em casa.
  • Procure evitar cobertores e roupas de la.
  • Não use produtos de limpeza com cheiro forte.
  • Use o aspirador de pó no lugar da vassoura, pois ao varrer a poeira do ambiente se espalha no ar.
  • Prefira sempre passar um pano úmido no piso frio (de material sintético) e mesmo no assoalho.
  • Evite usar perfumes e produtos de higiene que tenham cheiro muito forte.
  • No quarto, esqueça as cortinas e tapetes, e afaste sua cama da parede.
  • Não fique em locais úmidos, seja num cômodo da casa ou no escritório.

8.- RESPIRAÇĀO E PILATES: COMO USAR CORRETAMENTE A BOMBINHA

A bombinha nada mais é do que um instrumento para o paciente inalar medicamentos broncodilatadores, que aumentam o diâmetro dos brônquios e com isso facilitam a respiração.

Para usa-la do modo certo, siga estes passos:

  • Prefira usar a bombina na posição de pé, e não deitado ou sentado.
  • Agite bem o frasco antes de usar.
  • Nunca coloque a bombinha na boca, e sim deixe-a a um ou dois centímetros de distância.
  •   Solte todo o ar dos pulmões, em seguida inspire devagar pela boca, pressionando o frasco para que o medicamento seja inalado.
  • Ao usar a bombinha, procure prender o ar por alguns segundos, para depois expirar.
  • Para repetir, use os mesmos procedimentos.

9.- CAMINHAR FAZ BEM AO PACIENTE DE DOENCAS PULMONARES?

Sim. Os pneumologistas e fisioterapeutas garantem que a realização de atividades físicas é muito importante para a recuperação do paciente, e a caminhada é uma dessas práticas. O que é preciso é fazer, antes, uma avaliação geral da saúde para definir qual o grau de capacidade da pessoa e para estabelecer um programa de treinamento orientado pelos profissionais especializados.

10.- RESPIRAÇÃO E PILATES: DE QUE MODO A FISIOTERAPIA AJUDA NA RECUPERACAO?

Há uma especialidade dentro da Fisioterapia Respiratória, cujo objetivo é fortalecer os músculos que são usados no processo de respiração e eliminar o excesso de secreções. Com as técnicas empregadas pelo fisioterapeuta, como exercícios específicos para facilitar as trocas gasosas, há uma melhora de fato das funções das vias aéreas.

11.- BRONCO – PNEUMONIA É O MESMO QUE PNEUMONIA?

O termo broncopneumonia é uma designação que, em termos clínicos, é semelhante a pneumonia.

A broncopneumonia atinge os brônquios e pequenas e diferentes áreas do pulmão, enquanto a pneumonia geralmente está concentrada em uma só região dos pulmões. Ou seja, na pneumonia, a infecção acomete um ou mais lobos do pulmão, e na bronco pneumonia, são infectadas pequenas e diferentes partes do pulmão. Quando o médico examina a imagem de raio X, a mancha branca que indica a infecção pode estar concentrada (pneumonia) ou podem aparecer várias manchinhas brancas espalhadas (broncopneumonia).

12.- FAZ BEM LAVAR AS NARINAS COM SORO FISIOLÓGICO?

O soro fisiológico é uma solução esterilizada utilizada para lavagem de olhos, narinas, queimaduras e feridas, além de vários outros procedimentos. Nos casos mais leves, lavar as narinas com soro fisiológico é eficaz para eliminar as substancias alérgenas que aderem a mucosa nasal. Isso pode ser feito várias vezes ao dia.

É benéfico também hidratar as fossas nasais para evitar que a área fique ressecada, e o soro costuma ser indicado pelos médicos para mantê-la limpa, prevenindo ainda resfriados, gripes e até mesmo sangramentos.

13.- RESPIRAÇĀO E PILATES: A PESSOA PODE TER SÓ “UM INÍCIO DE PNEUMONIA”?

Não, toda e qualquer pneumonia, como qualquer doença, tem início, meio e fim.

Quando o diagnóstico e confirmado, dizem os pneumologistas, é porque a pessoa já está com a moléstia.

14.- EM QUE ÉPOCA DO ANO AS DOENCAS RESPIRATORIAS ATACAM MAIS?

As estacoes mais frias do ano favorecem a proliferação de bactérias e vírus.

Justamente no inverno, estação que no Brasil ocorre entre os meses de junho e setembro, as pessoas estão mais vulneráveis as doenças respiratórias, como resfriados, gripes, bronquite, asma e pneumonia. Mesmo no outono, quando as temperaturas já ficam mais baixas, os problemas respiratórios podem ser frequentes.

15.- EM QUE CASOS ELAS ATINGEM MAIS AS CRIANCAS?

Como o sistema imunológico das crianças ainda é imaturo, elas são o principal alvo de algumas moléstias típicas dessa época, como resfriados e gripes que, se não forem adequadamente tratados, podem levar a complicações mais graves, como a pneumonia.

Os pneumologistas lembram que os vírus são sazonais, sendo que o vírus sincicial respiratório, que causa a bronquiolite, tem maior incidência no outono (entre os meses de marco a agosto) e o influenza, que provoca a gripe, ocorre principalmente no inverno (entre julho e setembro).

Especialmente as crianças que passam horas em berçários, creches e escolas são mais suscetíveis, porque ficam muito tempo em contato umas com as outras.

16.- QUAIS AS INFECCOES RESPIRATORIAS MAIS COMUNS EM CRIANCAS?

De acordo com os pediatras e especialistas em pneumologia, as infecções das vias aéreas superiores (também conhecidas como IVAS) são as que atingem mais as crianças. São elas:

  • Rinofaringites
  • Laringites
  • Otites
  • Sinusites

A seguir, vamos explicar as características dessas doenças, os fatores de risco e a definição de cada uma delas, com a descrição do quadro clinico, sintomas e tratamento. 

17.- QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DAS IVAS?

Todas as IVAS apresentam características comuns com relação a

  • Faixa etária
  • Agentes que as provocam
  • Época mais provável em que ocorrem

Quanto a faixa etária, são as crianças entre seis meses e cinco anos de idade as mais atingidas por essas enfermidades. Por isso, alertam os médicos, é preciso os pais estarem atentos quando principalmente os bebes de poucos meses de vida passam o dia todo ou várias horas em creches, que quase sempre, por conta da aglomeração de crianças e adultos, apresentam grande concentração de agentes bacterianos e virais.

A maior parte delas é provocada por vírus, e os meses de maior incidência são os do outono e do inverno.

18.- QUAIS OS FATORES DE RISCO PARA ESSAS DOENCAS RESPIRATORIAS?

Um grande fator de risco para a criança ter esses tipos de infecções é a possibilidade de ela ter alergia respiratória, o que pode causar inflamação e formação de muco nas vias aéreas superiores. Isso reduz as defesas das mucosas dessas vias aéreas e favorece a penetração dos agentes infecciosos.

Outro fator de risco é a prática da natação em locais sem o devido cuidado de limpeza e higienização da água. Mesmo as piscinas tratadas com cloro podem ser um agente causador ou complicador, porque o cloro costuma irritar as mucosas e isso pode desencadear uma alergia respiratória.

Outro problema das crianças que usam muito as piscinas, principalmente ao ar livre, é o possível choque de temperatura entre o entrar e sair da água, o que também facilita a diminuição das defesas e a instalação do processo infeccioso.

19.- RINOFARINGITE É O MESMO QUE RESFRIADO?

O resfriado comum pode ser confundido com a rinofaringite, que, como o resfriado, é uma infecção produzida por diversos tipos de vírus. Entre eles, estão influenza, adenovírus, parainfluenza e o rinovírus, entre outros. A diferença principal entre as duas moléstias é que a rinofaringite pode levar a uma inflamação maior das vias aéreas e nesse caso pode exigir tempo de recuperação mais longo.

Nos primeiros anos de vida, especialmente os dois iniciais, o sintoma principal é a febre. A coriza, que pode se tornar purulenta na fase final, tosse e mal-estar completam o quadro. Se não houver complicações, a criança se cura naturalmente em poucos dias, entre três e cinco. A criança maior tem praticamente os mesmos sintomas, apenas pode apresentar febre baixa ou estado subfebril.

20.- QUAIS SÃO AS COMPLICAÇŌES E O TRATAMENTO DA RINOFARINGITE?

Se a rinofaringite evoluir para um quadro mais grave, pode levar a complicações como a otite, bronquite, sinusite ou pneumonia.

Caso isso não ocorra, o tratamento é para aliviar os sintomas, apenas, em geral o ácido acetilsalicílico para a febre, e solução fisiológica instilada nas narinas para a coriza.

Mas mesmo em uma situação mais branda a orientação do médico é fundamental. O uso de antibióticos só deve ser recomendado, sempre pelo pediatra, se houver evolução para otite, bronquite e outras, como foi dito.

21.- FARINGITE E LARINGITE LEVAM PERIGO ÁS CRIANCAS?

As infecções agudas da faringe costumam ocorrer principalmente a partir dos 2 anos de idade, e podem ser bastante frequentes.

As faringites são causadas na maior parte das vezes por vírus, ao contrário do que se acreditava antes, quando se pensava que todas eram provocadas apenas por bactérias. Estudos recentes indicam que agentes virais estão presentes em quase todos os casos de faringites.

Do mesmo modo, a laringite viral é mais comum do que a causada por bactérias. As infecções agudas da laringe também acometem as crianças, mas principalmente os bebes menores e merecem muita atenção pelo risco de levar a uma possível insuficiência respiratória; é a causa mais comum de obstrução respiratório na infância, sendo que cerca de 10% dos casos necessitam de hospitalização urgente.

O tratamento só deverá ser indicado pelo médico pediatra depois de serem feitos exames para indicar as causas da faringite e laringite.

22.- O QUE SÃO OTITES?

São processos infecciosos bacterianos decorrentes de infecções virais da rinofaringite. As otites agudas podem ser comuns em crianças até os 4 anos de idade, mas sua incidência vai decaindo com o passar dos anos.

Os agentes infecciosos incluem o pneumococo, Haemophilus influenza e a Moraxella catharralis.

A otite aguda é um quadro de início abrupto, que se manifesta por forte dor na orelha atingida, provocada pela formação de um abscesso no ouvido médico. Como foi dito, esse quadro surge depois de uma infecção viral da rinofaringe. O pediatra e o otorrinolaringologista podem detectar a otite pelo exame clinico, a história do paciente e outros exames específicos caso haja necessidade. O tratamento inclui medicamentos para aliviar a dor, compressas quentes secas no ouvido, e o uso de antibióticos receitados pelo médico.

23.- RESPIRAÇÃO E PILATES: COMO A SINUSITE SE MANIFESTA NAS CRIANÇAS?

Como nas otites, a sinusite pode ser o agravamento de uma infecção viral prévia. Seu quadro clinico é caracterizado pela obstrução parcial de vias respiratórias, secreção de muco constante, principalmente de manhã e tosse, especialmente de noite, o que impede as crianças (e os pais) de dormirem bem. Nem sempre ocorre febre; e a dor de cabeça, tão comum nos adultos com sinusite, só deve aparecer nas crianças depois dos 8 anos de idade. As suspeitas de sinusite podem ser confirmadas por um exame de raio X, mas se ainda houver dúvidas a tomografia pode ser indicada pelo médico pediatra.

O tratamento da sinusite é semelhante ao da otite, pois os agentes são os mesmos. Muitos dos insucessos nos tratamentos das sinusites ocorrem por serem curtos; é importante lembrar que algumas vezes o uso dos antibióticos pode ser mais longo, dependendo do processo infeccioso.

24.- COMO PROTEGER OS PEQUENOS DAS DOENCAS RESPIRATORIAS?

São estes os cuidados mais importantes que todos os pais e mães devem ter com relação aos seus filhos pequenos para evitar que eles sejam contaminados:

  • Deixar os todos os aposentos em casa bem arejados.
  • Mesmo com o tempo frio, é preciso deixar as janelas abertas, para que haja ventilação.
  • Evitar locais fechados, aglomerações e lugares com pouca ventilação
  • Evitar o contato com adultos resfriados ou gripados.
  • Nunca levar o filho doente para a escola. Além de poder piorar o quadro da criança, promove a contaminação dos colegas.
  • Lavar as mãos frequentemente, tanto as do adulto, quanto as da criança.
  • Vacinar os pequenos rigorosamente dentro do calendário nacional de vacinação.
  • Consultar o pediatra no posto de saúde ou médico particular com regularidade, e ter acesso fácil ao profissional, mesmo que por telefone.  

Respiração e pilates: quais as respiraçōes utilizadas pelos alunos de Joseph Pilates?

Existem diversas respiraçōes diferentes utilizadas pelos alunos de Joesph Pilates. Podemos destacar entre elas:

  • A respiração indicada pela maioria dos professores clássicos de inspirar e expirar pelo nariz.
  • Respirar como indicado por Ron Fletcher, aluno direto de Joseph e Clara Pilates: inspirar pelo nariz e expirar de forma percussiva, que é basicamente expirar com os dentes “fechados”.
  • Utilizar a respiração de Lolita San Miguel, e como Joseph Pilates a ensinou, de inspirar pelo nariz e expirar pela boca.

Respiração e pilates: quais as principais diferenças entre as respiraçōes dos elders?

respiração é um processo que se controla de maneira involuntária. Isto significa que não precisamos pensar em como respirar mesmo durante um exercício fisco. A respiração natural se caracteriza em inspirar e expirar fazendo ar passar pelas fossas nasais, sendo assim possível proporcionar um “filtro” para o ar que vai para os pulmões.

Em todos os exercícios de pilates ensinados pelo mestre Joseph aos seus alunos vemos um fator comúm: inspirar pelo nariz. Mas podemos diferenciar entre as formas de respirar de diversos alunos de Joseph Pilates…

Aqui estão algumas:

  • Na forma dos professores de pilates clássicos antigos, de inspirar e expirar pelo nariz: as fossas nasais têm exatamente esta função, desempenhando o papel fisiológico de tentar reter a impurezas do ar que vai aos pulmões, onde ocorrem as trocas gasosas com o sangue. Respirar pelo nariz é, portanto, fisiologicamente correto.
  • Na forma ensinada a Lolita San Miguel, de inspirar pelo nariz e expirar pela boca: segundo a própria Lolita em pergunta direta realizada ao profissional de pilates Sandro Alves, seu maior problema era realizar giros no ballet. Creio que Joseph pode ter detectado essa falha e a tentou aperfeiçoar através da respiração. Ideal para treinar de forma cadenciada e melhorar a coordenação. Ao expirar pela boca trabalharemos mais o diafragma e expulsaremos quase completamente todo o ar que ficou retido inclusive na traquéia, faringe e laringe, ativando mais ainda os músculos abdominais e favorecendo o equilíbrio já que o peso normal do nosso corpo estará mais centralizado nessa área. Ideal para idosos que possuem pouco equilíbrio ou querem melhorar-lo.
  • Por último , aqui no artigo de respiraçāo e pilates, destacamos a respiração percussiva de Ron Fletcher, explicada anteriormente: ao expirar com os dentes quase fechados, terminamos por forçar mais a saída do ar e fortalecer o sistema respiratório. É similar a expirar embaixo da agua, com um breath a cizer (implemento clássico de pilates) ou com um canudo. Ideal para treinar a todos os orgāos e partes respiratórias do corpo.

Respiração e pilates: conclusão final.

Basicamente não existe o que é certo e errado. O caminho a seguir é realizar uma avaliação do seu cliente, ver se ele possui alguma dificuldade respiratória (verificar qual é) e indicar o tipo de respiração mais adequada para ele. Com isso portanto, sua aula será muito mais eficaz.

Daniele Castro Medeiros, fisioterapeuta com mais de 10 anos de experiência em UTI respiratória e diretora Alves Pilates.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixe o Ebook de pilates e AVC gratis!

Faça o download aqui!