fbpx

As Mais Comuns Patologias Do Quadril: Descubra Como Tratá-las!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

As patologias do quadril assim como as dos ombros são bastante comuns entre as pessoas, ainda mais porque essas são áreas com bastante movimento.

Isso quer dizer então que ambas as regiões são delicadas e precisam de cuidados maiores para que as lesões não surjam de forma regular.

Existe uma série de fatores que “ajudam” para que algumas delas apareçam. Eles derivam de açōes feitas de forma errada e até mesmo algo que já pré-existe.

Se você quer saber mais sobre isso, então continue lendo este conteúdo para saber quais patologias costumam ocorrer e o que é preciso fazer para cuidar delas.

Quais são as principais patologias do quadril?

Quais são as principais patologias do quadril

A saber: o quadril é uma articulação crucial para que os movimentos dos membros inferiores possam acontecer.

No módulo 3 do nosso curso de pilates em Porto Alegre desse ano, foi dito que o quadril possui três eixos de formação: eixo lateral que faz movimentos de extensão e flexão, eixo ântero-posterior que faz a abdução e adução, e eixo vertical para rotação.

Para qualquer movimentação que o quadril tenha de fazer é preciso que se use muitos músculos de várias partes do corpo.

Abaixo, separamos algumas das principais patologias presentes no quadril e que acabam por limitar bastante a vida das pessoas.

1. Impacto femoroacetabular

Uma das doenças mais achadas e que as pessoas mais reclamam. Isso porque ela se deriva de uma mudança no formato da estrutura do quadril, fazendo com que elas se impactem mais.

Em pessoas com quadris normais, o fêmur não bate no acetábulo durante os movimentos realizados. E aí que está a diferença entre quem sofre da patologia e quem não sofre.

Essas alterações podem acabar trazendo junto outros problemas um pouco mais graves como as lesões das articulações e cartilagem.

A dor é o primeiro sintoma da doença, que é bastante comum em atletas e pessoas que fazem muitas flexões e rotações de quadril.

Então, por exemplo, corredores e lutadores são os que mais podem sofrer disso. No entanto, não se restringe só a eles. Qualquer um pode sofrer com o impacto femoroacetabular.

As dores nesta área não são contínuas e aparecem por meio de fisgadas em certos movimentos. Como se trata de uma dor rápida, muitas vezes as pessoas não dão a atenção necessária.

Por essa razão, sem o tratamento correto e com o passar do tempo, os movimentos acabam ficando limitados. O tratamento dessa patologia pode acabar sendo trabalhado no pilates.

Isso porque a dor se dá ao fazer movimentos ampliados. Sendo assim, é importante reverter isso trabalhando os movimentos como num processo de reabilitação. Fase a fase mesmo.

Começando devagar e de modo limitado, a atividade irá propor um desenvolvimento melhor para que o aluno se sinta confortável e consiga aumentar seus movimentos gradualmente.

2. Lesão do lábrum

Essa patologia pode se derivar do impacto femorobracetabular e provocar algumas lesões. A lesão acontece na fibrocartilagem, região essencial para um bom movimento do quadril.

Outras possibilidades dessa patologia acontecer são por meio do paciente ter tido algum outro trauma que tenha gerado desgaste repetido em sua articulação.

O lábrum causa bastante dor, principalmente porque a região é composta por vários nervos e suas fibras recebem estímulo pelo impacto da estrutura do quadril.

Quando ocorre a deformidade do tipo pincer, o lábrum acaba ficando prensado entre o fêmur e o acetábulo, recebendo todo o impacto.

Algo comum de se acontecer aqui é a calcificação da região, fazendo com que seu impacto seja maior.

O aluno tem que realizar muitos exercícios de pré pilates, com menor ROM (rango de movimento) e que estimule o liquido sinovial da região.

No módulo 3 do nosso curso da Alves Pilates (que você pode tomar de forma a parte) se explica tudo sobre patologias e pré pilates.

3. Bursite Trocantérica

A bursite geralmente acaba sendo bastante confundida com tendinite. Mas as duas são coisas diferentes.

Em geral, a tendinite afeta a área do glúteo médio e tem como principal causa, a inflamação dos tendões do local. Já a bursite é diferente.

Ela se trata de uma inflamação na bursa, uma pequena bolsa que amortece o impacto das articulações. A dor na região afeta a lateral do quadril e sua parte anterior.

Em alguns casos, fica difícil saber distinguir se a inflamação da área é uma bursite ou apenas uma tendinite. Por isso é necessária uma avaliação médica.

Seus sintomas costumam piorar durante a noite e prejudica a qualidade do sono do indivíduo, já que o mesmo possui dificuldades de se deitar no lado inflamado.

Para tratar essa área, é fundamental que o profissional principalmente de pilates ou fisioterapia, crie maneiras de fortalecer a musculatura do quadril.

Sendo assim, se criará toda uma reabilitação para que o paciente consiga aliviar suas dores e ainda tenha um músculo mais forte para aguentar os impactos.

4. Artrose

É uma doença crônica degenerativa e que acontece quando há um desgaste da cartilagem que existe no quadril.

Como a cartilagem dessa área tem como propósito suavizar a movimentação, sua perda gera bastante impactos que proporcionam dor e desconforto no paciente.

O desgaste é uma coisa que sucede pouco a pouco até que não exista mais e, assim, acaba gerando um atrito muito grande na região dos ossos.

Essa patologia não tem cura, mas é possível amenizar a dor da artrose e deter sua evolução através de terapias, exercícios, fisioterapia e em alguns casos até mesmo uma cirurgia.

O aluno tem que mover o corpo na área afetada sim ou sim e para isso as aulas no pilates reformer são cruciais. Fazer a footwork series no reformer (parecido a agachar com as pernas, só que deitado na máquina de pilates) são a base de aliviar a dor para seu cliente.

Como identificar as patologias do quadril?

Como identificar as patologias do quadril

Em primeiro lugar, para que se possam achar quaisquer patologias do quadril é preciso que se faça alguns testes.

A avaliação pode ser feita por um médico, por meio das “respostas das dores” que o paciente oferece em um local.

Assim, o profissional pode realizar alguns testes rápidos que indicam algum problema em seu corpo. O tratamento pode acontecer por meio de remédios e fisioterapias.

O mais indicado é que o paciente comece a fazer atividades no pilates. Isso porque o pilates é uma atividade fisioterápica e tem como princípio reabilitar pacientes.

Assim, é possível deixar mais forte mente e corpo, tonificar músculos, trabalhar equilíbrio, elasticidade, entre muitos outros fatores.

Dica bônus pra você:

Deixo aqui a dica de um excelente livro pra você entender melhor o quadril e seus problemas: é só fazer clic no botão abaixo para conhecer o material que eu indico se você quer saber mais de quadril e ombro.

Dica bônus 2:

Peça para seu aluno consultar com seu médico se ele pode tomar “Piascledine” que é um remédio a base de abacate e soja que melhora o líquido sinovial de todas áreas descritas acima.

Conclusão

Por fim, vimos então algumas das principais patologias do quadril, como elas surgem, e como elas podem acabar sendo tratadas.

Para evitar que elas aconteçam, é crucial que você seja adepto a atividades físicas e a exercícios de fortificação do quadril. Se você treinar de forma correta é possível se prevenir. 

Nos conte aqui se você conhecia alguma dessas patologias e comparta esse conteúdo com outras pessoas.

Veja também aqui nossos posts mais recentes:

Dani Castro, fisio formada a mais de 10 anos.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixe o Ebook de pilates e AVC gratis!

Faça o download aqui!