Pilates na terceira idade

Uma experiência pessoal e científica

Quando eu era criança, olhava para meus avós e os considerava muito velhos. Principalmente observava que os cabelos estavam ficando brancos e ademais sendo pais dos meus pais, me pareciam tão frágeis e centenários… 

Hoje certamente penso: o que passaria se soubessem que atualmente existe pilates na terceira idade?

Atualmente a qualidade de vida é sinônimo de saúde, harmonia e atividade corporal e além disso o equilíbrio entre corpo e mente são essenciais para que a pessoa viva bem. Aprendemos isso inegavelmente com a experiência dos anos.


Minhas observações a décadas atrás.

Meus avós viviam na zona rural e ademais realizavam trabalho árduo e braçal. Os seus exercícios eram da capinagem a colheita, suas longas caminhadas eram subindo morros por estradas de terra, levando nas costas ferramentas pesadas e guiando os bois, que puxavam uma carroça com rodas pesadas de madeira.

Entretanto seus semblantes cansados e pele enrugada por passar horas no sol, apesar de um convívio mais próximo das atividades com a terra, os envelheciam mais do que realmente eram. 

Minha percepção naquela época era que em breve eu não os veria mais assim que eu os colocava como carta fora do baralho e o papel que exerciam na família era exclusivamente de avós.


Idosos de antigamente vs idosos atuais.

Pelo menos 30 anos se passaram, e hoje esta visão está tão diferente que me pregunto quantos anos eles tinham na época. Acredito portanto que era a mesma idade que tenho hoje. Os idosos de antigamente em contraste com os idosos dos dias atuais já não são mais os mesmos. Os idosos hoje vivem mais, se interessam mais, buscam mais e portanto fazem pilates na terceira idade assim como running e exercícios funcionais. Os avanços tecnológicos, avanços na medicina, aumento dos profissionais e modalidades da saúde, e as conveniências comerciais são também alguns fatores que colaboram para o aumento da longevidade.


Descobrimos tudo isso com nossa experiência de vida e respaldo científico.

Nem tudo foram “flores” até os idosos descobrirem o método pilates. Existe um fenômeno, que é uma das teorias do envelhecimento conhecida como Teoria Do Desengajamento Social.

Essa teoria, de cunho psicológico, se baseia no fato de que, ao envelhecer, as pessoas são afastadas aos poucos de atividades sociais e além disso o idoso (devido à diminuição da capacidade funcional para realizar atividades da vida diária) perde sua autonomia e poder de decisão. Os resultados , por consequência, são aumento da depressão, ansiedade e da sensação de impotência.

Outro fator a ser considerado é que com o passar dos anos e com a falta de atividade física, o corpo desenvolve diversos tipos de doenças, que são chamadas de doenças Hipocinéticas (é um termo usado para diagnosticar doenças relacionadas com a falta da prática de exercícios físicos), tais como: doenças coronárias, pressão alta, alto nível de gordura corporal ademais de problemas nas articulações e região lombar e osteoporose.

Inegavelmente a prática regular de exercício físico, por sua vez irá auxiliar o idoso a encontrar, de forma bastante satisfatória, melhoras significativas da capacidade funcional e principalmente da qualidade de vida. Entretanto, atingir um nível ideal de condicionamento físico requer trabalho e muita disciplina.


Atualização dos profissionais em pilates na terceira idade.

Os acessos à atividade física e os exercícios também mudaram porque hoje os profissionais se atualizam assim que, por conseguinte, entendem as necessidades individuais do idoso e ademais entendem que a longevidade aumentou. Em conformidade com isso conseguem trabalhar movimentos mais específicos para as condições físicas.

Por isso no nosso curso de pilates em Porto Alegre bem como no resto do Brasil e América do Sul vemos muitas patologias relacionadas ao público idoso no que se refere a pilates e terceira idade, e sob o mesmo ponto de vista podemos comprovar isso.


Minhas observações nos dias atuais.

Percebo diariamente no meu estudio de Pilates em Jaraguá do Sul a melhora dos movimentos assim como da agilidade e da qualidade de vida. Os idosos não são mais os mesmos.

Surpreendentemente vejo a preocupação com a procura de se manterem ativos e saudáveis. Quando olhava para os meus avós naquela época, jamais imaginaria que eles pudessem fazer um exercício de Pilates, para mim eles eram inativos, sedentários.

Hoje, os idosos mostram que são independentes e capazes e de acordo com isso devemos saber que olhar para eles com restrição é um erro. Podemos viver a vida sem medos e limitações.

Basta acompanharmos a evolução e permitirmos nos movimentar sem comodismo pois estamos ainda aprendendo a entender os novos idosos e a envelhecer porém este aprendizado deve ser um processo natural na nossa vida.


Porque os idosos devem praticar pilates?

Nos dias atuais, existem inúmeras variações e formas de se exercitar com o objetivo de evitar as doenças oriundas do envelhecimento portanto mesmo com tanta informação, muitas dúvidas se fazem presentes quando falamos em exercícios aplicados a terceira idade.

Um dos exercícios que mais vem sendo recomendado pelos professionais da saúde (por sua eficácia e segurança) é o método Pilates. 

O método Pilates é uma filosofia que prega o equilíbrio de mente, corpo e espírito. Seus exercícios incluem movimentos baseados na dança, artes marciais e ioga. 

Só para exemplificar: Pilates tem se apresentado como um método revolucionário, que vem sendo utilizado para melhora da qualidade de vida e bem-estar, trabalhando a flexibilidade, força, equilíbrio e ademais a melhora da postura (variáveis fundamentais para manutenção da independência física e funcional dos idosos).


Entrevistas comprovam os benefícios do pilates na terceira idade.

A sábia Kathy Grant, aluna do mestre Joseph Pilates já dizia portanto que a característica principal do método é a capacidade de superar imprevistos. Pular uma poça de água ou saltar-la, por exemplo.

Se unimos isso à uma conhecida entrevista do Dr. Drauzio Varela com o Dr. Wilson Jacob Filho, famoso médico especializado em gerontologia, onde especifica que o nosso corpo com o tempo vai perdendo a capacidade de responder às sobrecargas e se adaptar nas atividades do cotidiano (subir uma escada, correr, agachar) e que a atividade física preserva essas capacidades de resposta imediata do corpo humano, já fica bem claro que o pilates é excelente para a terceira idade.

Nos benefícios da prática de Pilates por indivíduos da terceira idade, ainda podemos citar ademais:

  • A diminuição do efeito de doenças crônico-degenerativas.
  • Melhora da flexibilidade através do trabalho do “centro de força”.
  • Melhora de postura.
  • Diminuição de dores crônicas, coordenação, diminuição da ansiedade, depressão e fadiga.


E as pesquisas científicas? Que dizem sobre o pilates na terceira idade?

Mas para ser mais científico e realizar uma comprovação real, o Journal of Bodywork and Movement Therapies também já demonstrou um artigo científico, através de uma pesquisa realizada no dia 16 de janeiro do ano 2012, onde mostra a eficácia do método pilates no equilibrio da marcha para terceira idade e portanto a melhoria da auto confiança do paciente.

Ressaltamos que o Journal of Bodywork and Movement Therapies possui muitos artigos relacionados ao método pilates.

Não somente esse artigo mas sem dúvida em quase todos vemos significativas mudanças para melhoria dos sistemas esqueléticos e musculares entre outros.

Essas mudanças vão ademais desde uma melhoria na marcha até mesmo à maior absorção de cálcio e colágeno nos ossos devido ao fato de que os movimentos de pilates proporcionam que o sistema esquelético preseve sua arquitetura e por isso aumentam sua dureza podendo até mesmo reverter um quadro de osteoporose.


Conclusão

Hoje em dia, o método Pilates é reconhecido, no mundo inteiro, pelos seus benefícios físicos e mentais. Sua execução é feita através de movimentos conscientes, sem fadiga ou dor, com exercícios baseados em seis princípios: respiração, o controle, a concentração, a centralização, a precisão e a fluidez do movimento.

É através da utilização destes princípios que por conseguinte se torna possível a obtenção de uma melhora nas capacidades físicas e funcionais do idoso, ofertando ao mesmo, a melhora na qualidade de vida através dos exercícios do método Pilates.

O processo de envelhecimento deve ser digno e com um pensamento mais avançado para permitir que os idosos vivam com qualidade de vida e de forma ativa. Incluídos na sociedade, sem se tornar um “peso” familiar, com novos relacionamentos e aproveitando as oportunidades da vida moderna.

É necessário projetar um novo olhar para a velhice, e se preparar para este momento que, nos desejos da vida, onde todos queremos chegar. Se começarmos a tomar consciência hoje de que este dia, felizmente, irá chegar, poderemos escolher como estaremos daqui há alguns anos. Ser idoso não e chegar no fim, é a continuidade de uma história.

Se você é profissional da área e busca uma excelente formação em pilates é preciso que entenda que compreender o envelhecimento é entender o próprio futuro com respeito.  Estamos ainda aprendendo a envelhecer, mas este aprendizado deve ser um processo natural na nossa vida.

Andreia Chiavini

Fisioterapeuta


 

Baixe o Ebook de pilates e AVC gratis!

Faça o download aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparta nas suas redes sociais!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Baixe o Ebook de pilates e AVC gratis!

Faça o download aqui!